O que são Contos Postais?
On November 6, 2020 | 0 Comments

Imagine que uma vez por mês um envelope passa pela sua porta com um cartão postal. De um lado uma ficção relâmpago de fantasia, horror ou ficção científica. Do outro lado uma ilustração inédita. Esses são os contos postais.

Em 2018, participei do InkTober® de um jeito diferente, enquanto as pessoas faziam um desenho por dia durante todo o mies de outubro, eu escrevi e ilustrei uma história curta a cada dia. O resultado, como vocês podem imaginar, foi variado. Alguns desenhos ficaram muito bons, algumas histórias foram muito boas, a maioria ficou ok e outras ficaram péssimas. Era do jogo, não esperava nada diferente. Seria surpreendente escrever 31 histórias magnificamente ilustradas em um período como esse.

Como exercício criativo, porém, o resultado não podia ter sido melhor. Foi uma produção constante, cheia de problemas, mas que se realizou, o que foi ótimo. Em janeiro, quando lancei minha campanha no catarse, eu me lembrei dessa experiência e foi o momento em que resolvi lançar os Contos Postais e passei a enviar todo mês uma ficção relâmpago ilustrada de mais ou menos 150 palavras, no formato de cartão postal.

A ideia era não apenas presentear os apoiadores do catarse, mas também ter algo divertido e barato para levar em eventos que eu queria participar este ano. Tudo bem que eu não teria tantos assinantes inicialmente, mas poderia compensar a produção vendendo o excedente. Parecia um bom plano, mas todos sabem o resultado. Veio a quarentena, foram-se os eventos. Os postais foram se acumulando, mês a mês, eu tentei vende-los através do meu site, mas não tive muitos resultados. A circulação acabou reduzida aos assinantes e a alguns felizardos que os receberam como brinde.

Fiquei pensando por quanto tempo eu conseguiria sustentar esse projeto. Havia a gráfica, o correio, toda a logística, escrever o conto e, claro… ilustrá-lo. As ilustrações consomem um tempo precioso, um tempo em que eu poderia estar escrevendo, descansando, brincando com minhas cachorras ou trabalhando. Quando se é autônomo, como eu, você sabe exatamente quanto custa cada hora do seu trabalho. Horas que eu poderia vender como serviço, mas que eu ocupava com meus projetos pessoais. Parecia algo pesado para um retorno tão pequeno.

Mas todo mês tinha um conto. Todo mês tinha uma ilustração. Todo mês tinha um envelope no correio e eu ficava ansioso pelo mês seguinte e pelo outro e pelo próximo. Hoje estou escrevendo a tradicional carta de agradecimento para os apoiadores do meu catarse. Quando comecei eram apenas três, hoje já são quinze cartas todo mês. Escrevo a mão. As vezes a tendinite reclama, mas é um preço pequeno. Foram eles que me motivaram todos esses meses e, vejam só, estamos aqui pela décima vez.


Este vai ser o décimo Conto Postal (o primeiro foi publicado em Fevereiro, com o primeiro assinante do Catarse) e eu me peguei pensando em como serão os postais do próximo ano. Fiquei tentando imaginar algum tipo de série ou tema para amarrá-los como uma nova coleção, não sei ainda, vou precisar decidir isso em breve, mas tomei um susto com o pensamento, pois ele dizia o que já devia ter sido óbvio. Contos Postais veio pra ficar e eu vou namorar essas histórias por muitos e muitos anos ainda.

Se você ainda não conhece os Contos Postais. Dê uma olhada na sessão do meu site que fala mais sobre eles. Se quiser receber algum pelo correio, você pode compra-los individualmente ou em pacotes na minha loja, ou pode se tornar um apoiador, receber este e outros presentes ao longo do ano.

Esse projeto só surgiu graças ao apoio físico, espiritual e financeiro dos assinantes do catarse. Sem eles com certeza eu já teria desistido e eu fico muito feliz em dividir com todos tanta coisa bonita. Obrigado por estarem ao meu lado até aqui. Muita coisa ainda vai acontecer.

Você está lendo esse texto graças aos apoiadores do Catarse. Além de me ajudar a continuar produzindo, eles recebem algumas recompensas exclusivas. Ficou interessado? Dê uma olhada no link.

Leave a Reply

More news
%d bloggers like this: