Seja corajoso como os outros. Eles lutam. Eles comem.
  • img-book

    Diego Guerra

Sale!
A Lenda do Mastim Demônio by: Diego Guerra
R$15,90 Para o irmão Belic o primeiro ano do reinado de Arteen II não foi apenas marcado pelo fim da guerra que libertou os escravos, nem pelo frio, fome ou pela onda de homens desesperados usando de violência para sobreviver. Quando se lembra daquele inverno que varreu a aldeia, tudo o que lhe vem a mente é o choro desesperado de uma criança que havia acabado de vencer a morte. Belic nunca se esqueceu daquele dia, nem daquela criança e sua jornada de violência. Todos os anos, quando o festival das máscaras chega a sua aldeia, Belic se prepara para contar a história de Mastim, o garoto cão, o bastardo de Krul, o mercenário sanguinário que um dia seria conhecido como Jhomm, mas que antes disso era mais animal do que homem. Essa é a única história que as pessoas se importam em ouvir, trágica e cruel, como só a verdade pode ser.

Assim começa a lenda do mastim demônio.

Francylene No avatar Jornalista e co-fundadora do site MaisQINerds
" Uma trama impiedosa e crível, evidenciando o que há de pior nos seres humanos. "
Phelipe Pompilio No avatar Colunista do Leitores Vigaristas
" Os personagens criados por Diego Guerra muitas vezes beiram a realidade em suas ações. O desenvolvimento dos principais e a inserção de novos durante a trama é um ponto muito forte. Impossível não comparar nossos atos com os atos dos personagens que encenam O Teatro da Ira. "
Ana Patrícia Nobre No avatar Colunista do ImaginAtivaMente
" Krulgar, Thalla, KHirk, Evhin, Thamos, Círius, Dhommas, Geram uma mistura entre ficção e realidade tão intensa, que fica impossível não se identificar com eles; confesso que vi um pouco de mim em cada um. E você também vai se ver neles. "
Renan Barcellos No avatar Colunista d'O Vicio
" Teatro da Ira é uma obra centrada em seus personagens. E nesse ponto, Diego Guerra fez um excelente trabalho. Os protagonistas sõa muito bem desenvolvidos e os coadjuvantes são bastante carismáticos. "
Carlos Rocha No avatar Editor do Selo Multiverso
" Um livro de fantasia épica bem construído, com alguns personagens interessantes, uma trama bacana, construção de mundo que evita um pouco os pontos comuns do gênero e que é uma obra notável considerando o cenário do gênero no Brasil. Fica minha recomendação. "
Carlos Rocha No avatar Editor do Selo Multiverso
" Um livro de fantasia épica bem construído, com alguns personagens interessantes, uma trama bacana, construção de mundo que evita um pouco os pontos comuns do gênero e que é uma obra notável considerando o cenário do gênero no Brasil. Fica minha recomendação. "
Fernando Taverneiro No avatar Resenhista d'A Taverna
" Tendo como pontos fortes a tensão crescente, uma trama bem intrincada com arcos de personagens se chocando e ainda um mundo de alta fantasia surpreendentemente orgânico, esse é um livro altamente recomendado. "
Matheus Fellipe No avatar colunista d'O leitor noturno
" O Teatro da Ira, primeiro livro da série Chamas do Império, é a centelha que inicia um grande incêndio, o portão de entrada para um novo mundo de culturas e mitologias. O Império de Karis está ruindo e uma grande batalha se inicia. "
Paulo Vinícius F. Santos No avatar Editor do Ficções Humanas
" Diego Guerra consegue passar em suas páginas uma ode à dor e ao sofrimento. Entretanto, as palavras com as quais ele tece suas descrições são belamente encadeadas. É aquela escrita belamente perversa, que te encanta em seu aspecto mais sombrio. "
Vagner Stefanello No avatar Colunista do Desbravando Livros
" Uma escrita direta, sem enrolação, misturando momentos de ação pura e ferrenhas intrigas políticas, indicado para os leitores que são fãs d'As Crônicas de Gelo e Fogo e da trilogia A Primeira Lei. "
About author
Diego Guerra Style: FANTASIA, FICÇÃO CIENTIFICA, HORROR Diego Guerra é formado em Produção Editorial pela Anhembi Morumbi e em roteiro pela Academia Internacional de Cinema. Trabalha como designer e é fã de literatura fantástica e romances históricos. Passou os últimos quinze anos escondendo suas obras nas gavetas, mas resolveu que já estava pronto para contar suas aventuras. Autor do Teatro da Ira, A Lenda do Mastim Demônio, O Gigante da Guerra, além de diversos contos para antologias e artigos sobre literatura fantástica e dicas de escrita criativa.
Diego Guerra

“Nós chegamos a esse mundo chorando e chutando, sujos de sangue e cobertos de cólera. Somos uma violência que se pacifica com a idade e que morre engasgada na própria culpa. Os deuses nos assistem com ódio e pena.”

Assine a Gazeta Ordinária Gazeta Ordinária é um boletim eletrônico sobre fantasia, horror e ficção científica mantido pelos apoiadores.
Nele você vai encontrar descontos, resenhas, flash fictions, artigos, dicas de escrita e ilustrações.